AMIB

A história da AMIB se confunde com a evolução da Medicina Intensiva em nosso país. Ao longo dos anos, todas as gestões sempre trabalharam para fortalecer a especialidade e levar aos profissionais que atuam nas unidades de terapia intensiva informações que contribuam com a melhoria no atendimento aos pacientes críticos.

E essa grande história começou em meados dos anos 70. O país passava por mudanças político-sócio-econômicas importantes. Várias entidades médicas começavam a se formar e as que já existiam a se fortalecer. Em 1977, surgiu a SOPATI – Sociedade Paulista de Terapia Intensiva, liderada pelos médicos João Augustos Mattar Filho, Mariza D´Agostino Dias, José Thales de Castro Lima e Max Grimberg.

As sociedades regionais vinham sendo inauguradas e já era preciso uma entidade que reunisse todas elas e elaborasse, com a ajuda de profissionais de todo o país, padrões a serem estabelecidos nos cuidados aos pacientes críticos. Em 1979 foi criada a SBTI – Sociedade Brasileira de Terapia Intensiva, no Rio de Janeiro, que permaneceu inativa desde seu início.

 A SOTIERJ, na época presidida pelo Dr. Julio Polisuk, e a SOPATI, presidida pela Dra. Mariza, organizaram o movimento pela criação de uma Sociedade Brasileira. A tentativa inicial de uma filiação em massa à SBTI foi impossível, e foi convocada uma Assembleia Geral para a fundação da AMIB e, em 11 de dezembro de 1980, foi divulgada no Diário Oficial a formação da Associação Brasileira de Medicina Intensiva, que contou com a presença e adesão de médicos do Distrito Federal, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Bahia e São Paulo.

E de lá pra cá, a trajetória da AMIB tem sido marcada por muitas conquistas e, principalmente, por muitas melhorias que foram implantadas na terapia intensiva brasileira. Resultado do trabalho daqueles que abraçaram e acreditaram na especialidade.

Visite o site: http://www.amib.org.br/